José Maria de Oliveira

Letras e Traços

José Maria de Oliveira

Os caprichos duma flor

UM MENINO ENCONTROU  UM DIA
ESTRANHA FLOR NO SEU JARDIM
QUE NASCEU COM A MAGIA
DE TER UMA SINA ASSIM:
   

DE MÃO EM MÃO PELO MUNDO
ESTA FLOR VIAJOU.
MUITOS SÁBIOS A MIRARAM…
MUITAS SENTENÇAS ESCUTOU.
 

UM BOTÂNICO FAMOSO,
AO IR-LHE PARAR À MÃO,
TEVE NUM TOM PRESUNÇOSO
ESTA DOUTA OPINIÃO: 

OITO PETALAS ESTREITAS
NUMA COROLA ESTRANGULADA
AS CÉPALAS SÃO IMPERFEITAS
DO CÁLICE NÃO ESCORRE NADA… 

OS ESTAMES TRILOBADOS
ENCABEÇAM O ANDROCEU,
AS ANTERAS SÃO OVAIS
É RASGADO O GENECEU…  

VEIO ENTÃO UM MATEMÁTICO
E ESTA SENTENÇA RESOU,
AO OLHAR PARA A FLOR
LOGO O SÁBIO VOCIFEROU: 

A RAIZ QUADRADA ENCAIXA
LOGARÍTMOS DE MONTA
COM AS DERIVADAS DOS LADOS
NAS ABSISSAS DA PONTA 

FAZENDO O EXPOENCIAL
NUM PERFIL TRIGONOMÉTRICO
ACHAMOS QUE A INCÓGNITA
NÃO MEDE MAIS QUE UM METRO!…

HEIS UM FÍSICO FAMOSO
NOBEL DE GRANDE TALENTO
QUE AOS OUVINTES DISSE ISTO:
É UM COSMOS EM MOVIMENTO 

NOS PLANOS INCLINADOS,
QUE A GRAVIDADE CONTÉM,
EXISTEM VÓRTICES VAGOS
E UMA TRANSLAÇÃO TAMBÉM!
 

OS ATÓMOS TEM CARBONO,
E AS MOLÉCULAS COMPLEXAS,
NA TEORIA DAS CORDAS
SÃO UM UNIVERSO  ÀS AVESSAS…
 

E NÃO FICOU POR AQUI
A LINGUAGEM SAPIENTE
DAS DOUTAS PROEMINÊNCIAS
DESTE MUNDO INCONSEQUENTE
. 

TAMBÉM UM ARTISTA LOUCO,
NESTAS COISAS DO PINTAR,
VEIO ARMADO DE PINCÉIS
PARA A FLOR “RETRATAR” 

GASTOU O AZUL DA PRÚSSIA,
ACABOU O VERDE TURQUESA,
E COM O QUE SOBROU DO CARMIM
BORROU O TAMPO DA MESA… 

LOGO AO VIRAR DA ESQUINA
UM VIRTUOSO MAESTRO
DEDICOU-LHE TRÊS SONATAS
E UM MINUETO EM VERSO! 

OS VIOLINOS GEMERAM,
O PIANO ENLOUQUECEU,
QUATRO TROMBONES GEMERAM
E O BATERISTA MORREU. 

QUEM NÃO PODIA FALTAR
A ESTE ELENCO FAMOSO,
FOI UM POLÍTICO SÁBIO
QUE DISSE EM TOM DESDENHOSO: 

PELO CHEIRO É DE DIREITA,
NAS CORES, A ESQUERDA ESTÁ VISTA
CONTUDO VISTA DO CENTRO
PARECE-ME PLURALISTA. 

E EMBORA EM BOA VERDADE,
SEJA MINHA A OPINIÃO,
PARA A EXPLORARMOS A FUNDO
SÓ COM UMA COLIGAÇÃO.
 

E ENTRE NOTAS DE IMPRENSA
E ABRIR OS TELEJORNAIS
A FLOR GARRIDA ERA
MUITO? POUCO? E TUDO O MAIS?!
 

Jmho – in a dialéctica da simplicidade